0

Cerveja Bossta faz sucesso, mas mantém produção primitiva

Avalie este post

Segundo a previsão de um dos amigos do holândes Hendrikus Van Enck, de 64 anos, a ideia de criar uma cerveja artesanal fervendo o malte na panela e sem usar processos industrializados deixaria a bebida “uma bosta”.

A crítica do amigo, de fato, foi útil em um aspecto. Van Eck resolveu batizar a bebida de cerveja Bossta, visto que “bosta”, da maneira que costumamos escrever, não foi aceita no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), que considerou o termo um palavrão.

Cerveja Bossta:

Cerveja Bossta

Por mais curioso que pareça, esse foi o processo de criação da cerveja Bossta, que – ao que tudo indica – definitivamente não faz jus ao nome. Criada em setembro de 2011 na cidade de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, a empresa iniciou com uma fabricação anual de 50 litros por ano, mas hoje a produção chega a 50 mil.

Além disso, semanalmente, Van Enck e sua esposa, a brasileira Jaci Inacia, promovem encontros para confrarias da cerveja Bossta. A ideia surgiu depois que a filha do casal, Jessica Van Enck, começou a cobrar uma entrada dos amigos que desejavam degustar a bebida, o que ajudaria a família a terminar os estoques que estavam sobrando.

Doce com Cerveja? - Chef com Cerveja

A iniciativa deu tão certo que atualmente, a confraria da cerveja Bossta faz sucesso na região. E entre os motivos, não está somente o fato que a cerveja de fato tem personalidade. Segundo os visitantes, o clima descontraído faz toda a diferença.

A proposta do encontro é ser uma reunião de amigos, onde os participantes podem ficar à vontade para usar as torneiras de chope e ainda comer uma boa pizza à la carte. Os degustadores são recebidos nos fundos da casa de Van Enck, que sempre os dá as boas vindas pessoalmente.

Esse atendimento personalizado revela muito bem a proposta da marca, que resiste bravamente o ímpeto de aumentar a produção. O cervejeiro diz que não pretende aumentar a fabricação da cerveja Bossta, e além de tudo quer manter a distribuição apenas no Rio Grande do Sul.

“Produzir em grande escala está fora de cogitação. Transformei um hobby em negócio, mas não quero passar disso”, disse o empresário em entrevista ao site de notícia Uol.

Ao todo, a cerveja Bossta tem uma linha com 11 rótulos: Pilsen, Blond Ale, Weiss, Weissen Gold, Weissen Black, Original Belgian Ale, IPA, APA, Açaí, Porter e Bock. A média da garrafa com 500 ml é de R$ 12,50.

Vale ressaltar que a bebida continua sendo produzida na panela, exatamente como no começo de tudo. A ideia é manter a qualidade e o sabor personalizado, sem alterações de qualidade.

Van Enck une a produção da cerveja Bossta a de uma empresa de saneamento, que por sinal é a principal fonte de renda da família. E apesar de não sabermos o faturamento e o lucro da cervejaria, dá pra imaginar que se tornou um ótimo negócio.

Se você já provou algum rótulo da empresa, conte pra gente o que achou! E compartilhe este post com seus amigos que ainda não conhecem esse case de sucesso.

Até breve!

Navegação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *