0

Chimay Tripel com Canjiquinha para o Inverno. Aproveite!

Avalie este post

Por que a Chimay Tripel é uma boa opção para inverno?

Existe mais de uma resposta para essa pergunta, mas talvez a mais importante é o fato dela harmonizar muito bem com pratos “quentes” que ajudam a esquentar em dias mais frios.

Antes que você me pergunte: mas por que? Corpo e teor alcoólico respondem essa pergunta, mas calma ai, ainda vou detalhar mais esse assunto.

Produzida em um monastério na Bélgica sob a supervisão dos Monges Trapista, a Chimay é uma cervejaria muito conhecida no Brasil, simplesmente adorada por muitos.

Acredito que ainda tem muito o que ser conhecida e consequentemente consumida por que aqui. Penso assim por que antes encontradas somente em lojas especializadas em cervejas artesanais agora já são facilmente encontradas em Supermercados pelo menos aqui no Sul e Sudeste do Brasil (lugares que conheço).

Doce com Cerveja? - Chef com Cerveja

Assim como a St. Bernardus Triple, a Hertog Jan Tripel a Chimay Tripel também segue o estilo e as características do estilo Triple, mas claro com a sua personalidade.

Antes de falar da cerveja propriamente dita como eu sempre faço por aqui, eu quero dividir com você um vídeo bem bacana que foi matéria do Globo Rural falando da Chimay.

Curte aí e depois falamos da Cerveja.

Chimay Tripel

chimay-tripel-garrafa

chimay-tripel-copo

Sobre a Chimay Tripel

 Principais Aromas:

Levemente maltada, fiquei “buscando” mais aromas, deixei esquentar um pouco, mas não mudou muita coisa, somente a percepção de álcool ficou maior.

Principais Sabores:

Senti de forma muito leve frutas cítricas, malte, leve dulçor também. Um bom equilíbrio com o amargor, o álcool bem inserido, mas percebido e levemente picante que esquenta depois de algumas goladas.

Estilo:

Tripel

Pais de Origem:

Belgica

Volume:
330ml

Opinião sobre a Cerveja:

Uma boa cerveja, mas não entra para a minha lista das Top 10.

Boa espuma, bom corpo, linda cor.

Você já degustou alguma cerveja que não deu aquele “tchan”? Foi o que aconteceu comigo, boa cerveja, mas não me brilhou os olhos.

Prato

Canjiquinha com Costela suína fresca.

chimay-tripel-canjiquinha

 Receita (Serve 4 pessoas).

Ingredientes

800g de costelinhas suína fresca sem pele separada uma por uma.

200g de Canjiquinha (deixe de molho na água de um dia para o outro dentro da geladeira).

2 litros de água

1 Cebola picada

1 dente de alho picado

01 colher de sopa de óleo

01 folha de louro

03 ramos de salsinha e cebolinha picada

01 tomate sem pele e sem semente picado em cubos

01 colher de sopa de cream cheese

Sal a gosto

Pimenta branca a gosto

Modo de preparo

Em uma panela de pressão coloque a colher de óleo, as costelinhas, tempere com sal e pimenta, refogue até começar a dourar, coloque a  cebola, o alho e refogue por mais ou menos 3 minutos.

Na sequência coloque a folha de louro, a água, o tomate picado, feche a tampa e coloque para cozinhar por 20 minutos na pressão, depois desse tempo veja como está a textura da carne, se já estiver macia separe alguns pedaços para decorar o prato.

Na panela onde estão as costelinhas coloque a canjiquinha dispensando a água em que ela ficou de molho, cozinhe até ficar macia mexendo de vez em quando para não grudar no fundo da panela, no mínimo 20 minutos. (Se for necessário pode você pode incluir um pouco de água quente)

Antes de servir acerte o sal e a pimenta, coloque a salsinha e a cebolinha picada, a colher de Cream Chesse mexa e sirva na sequencia com as costelinhas que você separou para decorar.

Harmonização

Canjiquinha com Costela suína fresca e Chimay Tripel

chimay-tripel-harmonização

Talvez depois de você leu os comentários que fiz sobre a cerveja você pensou: Não ficou bom!

Se você pensou isso, posso te dizer que está enganado e vou explicar por que.

Eu utilizei algumas das técnicas de harmonização.

O corpo da Chimay Tripel tinha intensidade parecida com a do prato.

A carbonatação e o final seco da Chimay Tripel limpava a boca da gordura das costelinhas e tirava a sensação “cremosa”, porém fantástica criada pelo cream chesse, com isso a vontade de continuar comendo só aumentava a cada garfada.

Os 8% ABV da Chimay Tripel aquecia o corpo assim como a Canjiquinha, porém, de uma maneira extremamente agradável, ou seja, ótima para dias frios como disse lá no início.

Dica do chef

Você pode reproduzir essa mesma receita utilizando Costelinhas suínas defumadas, a diferença é que dependendo de quem fez a costelinha, talvez seja interessante dar uma dessalgada nela antes de incluir na receita e além disso a Chimay Tripel não será mais a melhor opção, vai harmonizar melhor com uma Rauchbier por exemplo.

Se você é um apaixonado por cervejas Trapistas, você não pode deixar de conferir essa harmonização com a Rochefort 10, uma das cervejas mais queridas feitas pela supervisão dos Monges Trapistas.

Eu realmente espero que você tenha gostado. Sugiro que faça o teste aproveitando que estamos em dias mais frios e qualquer coisa é só me mandar um e-mail que te ajudo na execução da receita.

Deixe seu comentário abaixo me falando o que achou ou dando uma sugestão de receita ou prato para o próximo post e assim que for possível eu faço com o maior prazer.

Um grande abraço.

Até!

Texto produzido pelo @chefdanielmagri

 

 

Navegação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *